AGORA VAI? VEJA O PLANO DE RECUPERAÇÃO DA OI- 18/12/2016

 

AGORA VAI? VEJA O PLANO DE RECUPERAÇÃO DA OI- 18/12/2016

 

Representantes do bilionário egípcio Naguib Sawiris e do grupo de credores liderados pelo banco de investimento Moelis & Company detalharam na tarde desta sexta-feira seu plano de recuperação alternativo para Oi. A proposta inclui a realização de uma oferta pública de ações (OPA) no valor de até US$ 1,25 bilhão, cujos recursos seriam destinados apenas a investimentos da Oi.
De acordo com Karim Nasr, representante de Sawiris, o plano prevê a conversão imediata de R$ 24,82 bilhões em títulos da dívida da Oi em 95% do patrimônio líquido da companhia, antes do novo aumento do capital social da operadora.
 
Depois de implementada a conversão de dívida em participação acionária, seria realizada a OPA. Dos US$ 1,25 bilhão previstos, US$ 250 milhões seriam aportados por Sawiris. Outros US$ 750 milhões viriam de instituições que detêm títulos da Oi. Os US$ 250 milhões restantes seriam captados no mercado ou aportados também por “bondholders”.
 
Cerca de R$ 10 bilhões em dívidas seriam reestruturadas com aumento no prazo de pagamento e redução nas taxas de juros, o que derrubaria a dívida bruta do patamar atual de R$ 65 bilhões para R$ 30 bilhões, explicou o advogado Giuliano Colombo, do escritório Pinheiro Neto Advogados, contratado para prestar assessoria legal às partes envolvidas no plano.
 
Ao final, Sawiris ficaria com uma participação acionária em torno de 10% na Oi, estimou Colombo.
Fornecedores
A proposta inclui também o pagamento de dívidas trabalhistas e outros pequenos credores em 2017, segundo informou Karim Nasr, representante do investidor egípcio. Já as dívidas com bancos começariam a ser pagas após um período de cinco anos de carência, dentro de uma proposta que prevê ainda redução de taxas de juros e alongamento de prazos. Os chamados credores estratégicos, grupo que inclui grandes fornecedores, seriam pagos sem desconto dentro de dois anos.
Segundo Nasr, a proposta parte do pressuposto de que a Oi investirá R$ 37 bilhões ao longo dos próximos cinco anos e R$ 70 bilhões em dez anos. Questionado se um volume em torno de R$ 7 bilhões por ano seria viável, ele respondeu que a companhia, recuperada, tem plenas condições de arcar com este valor. Pelo menos no primeiro ano, os investimentos seriam cobertos com recursos do caixa da companhia somados aos US$ 1,25 bilhão que a Oi captaria por meio de uma oferta pública de ações.
As dívidas com a Agência Nacional de Telecomunicações, estimadas pela própria Anatel em R$ 20,2 bilhões, seriam pagas em parte: o plano de Sawiris e dos credores prevê a quitação de R$ 5,5 bilhões em débito com o regulador e a conversão de aproximadamente R$ 14,5 bilhões em investimentos, por meio de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs).
Aval da Oi
A proposta precisaria ter o aval da Oi para ser votada numa futura assembléia de credores, em substituição ao plano de recuperação judicial apresentado pela operadora à Justiça. Representantes do bilionário egípcio Naguib Sawiris e do grupo de credores liderados pelo Moelis & Company se reuniram na tarde desta sexta com o presidente da Oi, Marco Schroeder, para apresentar o plano alternativo de recuperação da operadora. 
 
“Esperamos que a companhia vá aceitar de boa fé a nossa proposta”, disse o advogado Colombo, do escritório Pinheiro Neto, em conversa com jornalistas. “Essa é uma proposta melhor e mais consistente do que a existente hoje”, afirmou ele, para depois acrescentar que – caso o plano de Sawiris e Moelis não seja levado em consideração pela Oi – a questão poderá ser levada à Justiça.
 
O advogado informou ainda que a empresa de busca de executivos Spencer Stuart foi contratada para recrutar membros independentes para o conselho de administração da Oi. No plano desenhado por Sawiris e Moelis, quatro dos nove conselheiros seriam independentes, selecionados pela Spencer Stuart. Outros dois seriam indicados por Sawiris e três, pelos bondholders. Também está prevista a troca de executivos da Oi.

FONTE: OI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *